A Comissão Europeia está na maior azáfama a passar, antes das próximas eleições para o Parlamento Europeu – que terão lugar no próximo ano -, acordos de “comércio livre” com mais de 30 países. Entre esses acordos, encontra-se o acordo UE/MERCOSUL.

Leia a mensagem sobre este acordo dirigida à Comissária Europeia do Comércio, Cecilia Malmström e, se concordar, assine a seguinte petição: https://www.foodwatch.org/fr/s-informer/topics/accords-commerciaux/petition-contre-le-mercosur/#signerBottom

Texto da petição em português:

 

Petição: nem TTIP, nem CETA, nem MERCOSUL

A União Europeia continua a negociar acordos de comércio livre completamente opacos. Com esta fuga para a frente, as negociações com o MERCOSUL – Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai – chegam ao fim. No entanto, este acordo apresenta as mesmas ameaças que as denunciadas no TTIP e CETA, com consequências desastrosas para os agricultores, os direitos do consumidor, os padrões ambientais e até mesmo para os nossos princípios democráticos!

Junte-se à resistência para parar esse acordo e exija que os acordos comerciais respeitem os direitos dos povos e do planeta: assine a petição.

Cara Senhora Malmström, Comissária Europeia do Comércio,

As negociações do Acordo de livre comércio entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, um bloco comercial compreendendo a Argentina, o Brasil, o Uruguai e o Paraguai, estão quase concluídas.

Eu acho este acordo extremamente preocupante, porque apresenta as mesmas ameaças para os consumidores europeus, para a sua saúde e normas  ambientais que os acordos de livre comércio com o Canadá (CETA) e com  os Estados Unidos (TTIP).Na verdade, o acordo UE-Mercosul não garante, de modo nenhum, o respeito pelo princípio de precaução, que foi deixado de lado, sendo que ele é fundamental na Europa, para a segurança dos alimentos e para a protecção da nossa saúde. Este acordo arrisca, também, comprometer as escolhas democráticas no que respeita ao que aceitamos ou não nos nossos pratos (OGM, resíduos de pesticidas, etc.).

As importações europeias de produtos agro-alimentares, provenientes dos países do Mercosul,  iriam aumentar, com as quotas de carne bovina, de aves de capoeira e de açúcar, aceites pela UE neste acordo. Isso teria sérias consequências, não só para a agricultura, mas também para o meio ambiente e os direitos humanos. A expansão da pecuária intensiva agravaria, por exemplo, o desmatamento, o impacto sobre o clima e a contaminação dos lençóis freáticos, enquanto que as violações das normas internacionais do trabalho, propagadas, nomeadamente, nas plantações de cana-de-açúcar e soja, poderiam acentuar-se.

Comissária Malmström, o acordo UE-Mercosul não deve entrar em vigor sob nenhum pretexto.

Solicito-lhe, portanto, que pare as negociações deste acordo, bem como doutros acordos comerciais que representam graves ameaças para a saúde e os direitos dos consumidores.

A política comercial europeia deve ser revista, para responder, em primeiro lugar, às necessidades e aos direitos dos povos e do planeta e não aos interesses das empresas multinacionais.

Atenciosamente,

Primeiro Nom,e Sobrenome (será adicionado automaticamente)

Esta petição será enviada para:

Cecilia Malmström, Comissária Europeia do Comércio.

Dirigida ao Comissário Europeu, a sua assinatura também enviará uma mensagem forte para Emmanuel Macron. Os compromissos assumidos com os novos acordos comerciais (transparência, protecção do princípio da precaução, etc.) estão longe de ser cumpridos, quer no Mercosul, quer nos outros acordos negociados pela UE.

Nota: o TTIP é também conhecido por TAFTA.

 

> Assine aqui