Isabel Falcão tomou a iniciativa de escrever ao Provedor do Ouvinte, João Paulo Guerra, a reclamar pela quase ausência de cobertura de debate esclarecedor sobre o CETA, que compete à RTP/RDP difundir como serviço informativo público que é.

Perante a extrema importância da recente aprovação do Acordo CETA na AR com a ignorância do seu verdadeiro conteúdo e de suas implicações por parte de políticos, deputados e quase total desconhecimento e desinformação da população em geral, acusamos de gravemente deficiente se não mesmo tendencialmente gravosa a sem cobertura nem interesse de informação mediática da vossa parte que como sabemos competiria à RTP/RDP

A 18 de Setembro, dia em que o CETA foi debatido na AR, o economista Ricardo Paes Mamede na RTP 3 teve APENAS 30 segundos para falar deste tratado.

in https://www.nao-ao-ttip.pt/ricardo-pais-mamede-economista/

(terminando o autor do programa cínica, e “politicamente correcto” com a frase : “… era para ter sido um possível tema deste debate mas ficará para outra altura “ …….

Na Rádio, somente na Antena 2, congratulámo-nos com um dos episódios de “Um Certo Olhar” em que o seu autor Luís Caetano trouxe à análise e debate por parte dos intervenientes no referido e excelente Programa o tema CETA, pouco tempo antes da sua prevista votação na AR , porém, e mau grado a opinião de um dos intervenientes, um acontecer pontual e de imediato esquecido sem grande impacto geral no conjunto dos ouvintes, de acordo com a restrita audiência dessa estação radiofónica.

E o Provedor do Ouvinte respondeu:

Senhora ouvinte

Recebi a sua queixa e peço-lhe desculpa pela demora na resposta. A questão é que a resposta do Provedor aos ouvintes depende das respostas e esclarecimentos que o Provedor por sua vez recebe, mais cedo ou mais tarde, dos responsáveis da rádio pública.

A direcção esclareceu o Provedor que, por regra, responde sempre aos ouvintes que a interpelam diretamente e rejeita a desconfiança do ouvinte sobre alegada falta de “inocência” por uma vez que tenha faltado ao dever de responder aos que a interpelam.

Questionada pelo Provedor, a Direcção de Informação da rádio pública declarou que o processo relativo ao CETA foi noticiado ao longo do ano, em diversos momentos, com a divulgação de pontos de vista diversos, nomeadamente aqueles que foram expressos na Assembleia da República, mas reconheceu que o assunto não foi objeto de um debate na Antena 1. Porém, o Director de Informação sublinhou que a Antena 1 não tem nenhuma atitude discriminatória sobre qualquer assunto.

A Direcção de Informação admitiu que teria sido importante fazer o debate que faltou sobre o CETA, como relativamente a outros temas complexos e relevantes que podem e devem ser descodificados. A Direcção da rádio pública comprometeu-se a praticar mais amiúde o “debate”, com posições verdadeiramente contrastantes, sobre temas polémicos.

 

Com os melhores cumprimentos,
João Paulo Guerra
Provedor do Ouvinte