Escrevemos à deputada do PS, Lara Martinho, questionando-a sobre a situação em que se encontra o queijo São Jorge no Canadá, de acordo com o noticiado no site da Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo [1], mesmo depois do CETA entrar em vigor provisoriamente em Setembro do ano passado e este ser um dos produtos incluídos na lista deste acordo como produto IGP (Indicação Geográfica Protegida).

 

Cara deputada Lara Martinho,

como poderá estar recordada, acompanhámos atenta e activamente o processo de discussão e aprovação do acordo UE/Canadá (CETA) na Assembleia da República, tendo alertado para os vários riscos do acordo. Segundo tivemos conhecimento, desde já se colocam problemas na sua aplicação. Assim, lamentamos que esteja a haver “dificuldades em aumentar a exportação do queijo de São Jorge (DOP) para o Canadá, por via do CETA, porque os pedidos dos operadores para o aumento da importação continuam sem serem autorizados pelas autoridades do Canadá”. [1]

Solicitamos e agradecemos desde já que nos informe mais claramente sobre esta situação, assim como se os restantes 19 produtos portugueses protegidos no CETA, estão a ter o mesmo tipo de problema.

Gratos pela atenção.

Saudações cidadãs,

Pela TROCA – Plataforma por um Comércio Internacional Justo*

Ana Moreno e Graça Horta

*Nova designação da Plataforma Não ao Tratado Transatlântico

 

[1] http://www.ccah.eu/economia/noticias/ver.php?id=12767